Só o agora existe

Conta uma história que dois irmãos gêmeos estavam de passagem por uma cidade. Um deles era totalmente bom e o outro completamente pervertido. Naquele dia, o irmão pervertido entrou em uma briga e agrediu um homem inocente, fugindo logo depois.

No dia seguinte o irmão bom, que nunca havia feito mal a ninguém, passava pelo mesmo local. Quando o viram, o agrediram, julgando se tratar do irmão mau.

Agora, antes de tentar resumir o moral da história, pense um instante.

Para que servem as histórias que você se conta do passado, além de trazer erros para o presente?

Você precisa do passado para te definir de alguma forma?

Ou será que o que você é agora, já contém tudo o que te define?

Você não pode viver o passado, pegar no passado ou vê-lo na sua frente.

Somente o presente é assim, real. E o presente já contém tudo o que você precisa para vivê-lo.

O UCEM diz que manter o passado em mente, lança uma sombra no presente e perpetua o ego no futuro, deixando escapar o Agora.

O ego só existe no passado e no presente. No agora absoluto, não.

Então, se você usar o passado para se definir no presente, estará obscurecendo sua luz no presente.

Da mesma forma que na história dos dois irmãos, é como olhar para a pessoa que você é hoje e condená-la a ser a sua outra versão que ficou no passado e nem mais aqui está.

Por isso, retire a importância que dá ao passado. Ele não serve para viver o presente. Renasça decidindo se separar do passado.

Para isso, não deixe que as histórias do passado sejam alimentadas em sua mente. Fique aqui, no agora, onde você pode fazer diferente. E assim sua luz poderá brilhar.

“O Cristo, como te está sendo revelado agora, não tem passado, pois Ele é imutável e na Sua imutabilidade está a tua liberação. Pois se Ele é como foi criado, não há nenhuma culpa Nele. Nenhuma nuvem de culpa se ergueu para obscurecê-Lo e Ele está revelado em todas as pessoas que encontras porque O vês através Dele Mesmo. Nascer de novo é deixar que o passado se vá e olhar para o presente sem condenação. A nuvem que obscurece o Filho de Deus para ti é o passado e se quiseres que o passado seja passado e se vá, é preciso que não o vejas agora. Se o vês agora em tuas ilusões, ele não saiu de ti, embora não esteja presente. “T-13.VI.3

>