O perdão não é real a não ser que traga cura para ti e para o teu irmão

Quantas vezes a gente acha que perdoou, para se ver novamente com a mágoa no coração, evitando as pessoas e situações que cutucam a ferida?⁠

Aí a gente pensa sem entender: “Mas eu perdoei já, o que está acontecendo?”.⁠

Nesses casos ainda há o que perdoar. ⁠

E geralmente sabemos o que ainda não está resolvido, mas o ego tenta encobrir a mágoa, colocando tudo para baixo do tapete (te cutucando de vez em quando para acordar a mágoa).⁠

Somente o perdão real, aquele que traz o amor, pode libertar profundamente da prisão da mágoa.⁠

Mas como continuar o processo de perdão quando ele emperra?⁠

A solução é investigar dentro do seu coração abrindo mão do julgamento.⁠

Imagine como se estivesse se “sentando” para ficar em silêncio com o seu coração. Investigue silenciosamente a sensação, sem dar bola para os comentários mentais que vem junto.⁠

A chave é sentir, sem julgar.⁠

Se você não der bola aos comentários mentais do ego (que julgam), mas só ficar com o seu coração, em total silêncio, a experiência começará a te mostrar o outro lado, onde existe o perdão.⁠

O truque é que quando damos atenção a sensação de mágoa no coração, sem alimentá-la com julgamentos do ego, ela pode ser expressa e isso vai fazê-la se desdobrar, diluindo junto os comentários mentais que geravam a mágoa e interrompiam o processo de perdão.⁠

Sentir sem julgar. ⁠

O perdão real cura, liberta e traz o amor para todos.⁠

“O perdão não é real a não ser que traga cura para ti e para o teu irmão.” UCEM T-27.II.4:1

>