Não use o passado para julgar o agora

Julgamos o presente, conforme o que vivemos no passado.

Isso é considerado natural no sistema de pensamentos do ego.

O UCEM, que apresenta um outro sistema de pensamentos, diz que usar o passado para julgar o presente é delusório porque traz o passado para o presente, ou seja, não vê o presente como ele é de verdade.

E isso deixa um monte de particularidades do presente de fora.

Trazendo para um exemplo bem simples, imagine que você tenha experimentado Xuxu quando era criança e tenha decidido que não é gostoso. Porém um dia vai a um restaurante onde o chefe local te oferece um prato grátis contendo Xuxu. Ai você recusa e prefere pagar por outro prato. Só que o prato de Xuxu desse chefe é diferente, cheio de sabor porque contem um molho diferente. Nesse exemplo, você deixaria de aproveitar a cortesia do chefe, de conhecer algo novo e pagaria mais caro, tudo porque trouxe o passado para o presente ao decidir.

Agora, se expandirmos isso para os relacionamentos, imagine como se cada pessoa tivesse 1000 características. Aí você conhece alguém novo hoje. Porém receonhce nessa pessoa uma característica parecida com alguém que te machucou no passado. e por causa dessa característica, já descarta a pessoa nova, junto com as outras 999 características, que poderiam ser boas.

Indo ainda mais longe expanda para tudo o que você vive. Quantas coisas são julgadas e descartadas, aumentando a separação e impedindo o momento presente de te mostrar todas as suas oportunidades?

A mensagem central aqui é se abrir para o que está acontecendo na sua frente, no agora, e deixar o passado no passado.

“Consideras “natural” usar a tua experiência passada como ponto de referência a partir do qual julgar o presente. No entanto, isso não é natural porque é delusório. Quando tiveres aprendido a olhar para todas as pessoas sem fazer absolutamente nenhuma referência ao passado, ou ao delas ou ao teu, conforme o percebias, serás capaz de aprender com o que vês agora.” UCEM T-13.VI.2

>